Escombros

Tanto nas abstrações
De amor e de memória
Quanto na concretude palpável dos tijolos
A destruição sempre fácil
O que ontem estava ali
Desaparece
Não existe mais

No equilíbrio tênue na margem da perenidade
Complexo mesmo é construir

 

Obs: Foto tirada em 30/06/20, na esquina da Rua Gonçalves Dias com Rua Santa Catarina, escombros da casa onde funcionou um restaurante de comida oriental por mais de 50 anos.

Herança

O livro
O batom
O vestido
O anel
A aliança

A senha
A bolsa
A sandália
A cadela
A criança

O suor
O amor
O olhar
As mãos
A dança

A viagem
A política
A caminhada
A gratidão
A mudança

O desapego
O pedaço
O luto
O firmamento
A lembrança

 

Dialética do amor

Na dialética do amor
Desperdício é a antítese
É viver separado

Num mundo em que as pessoas se procuram
A gente se achou sem esforço
No caos do universo
Era para a gente estar ali junto

Num mundo de tristeza
A gente foi feliz sem motivo
A gente se amou sem limites
A gente foi completo sem pretensão

Num mundo de superfície
A gente foi profundo
Aprendeu a nadar
Mergulho intenso no equilíbrio instável

Num mundo de pessoas sem tempo
A gente barganhou com a eternidade
Ganhou as horas, ganhou a vida
E brilhou os olhos
Luz no caminho

Num mundo mesquinho
A gente foi exagero
Vibração
Fomos pele, suor, saliva
Corpo, lágrima, gozo

Num mundo barulhento
A gente se entendeu sem palavras
Sem ruído
Sem pudor
No silêncio do olhar

Num mundo conservador
A gente fez revolução
A gente foi revolução
Foi esperança
Resistência
Inspiração

Na dialética do amor
A antítese é tudo isso

É a gente se enganar
Acreditando que vai encontrar
Noutro lugar
A verdade que por aqui está
Busca infinita
Basta olhar

12/06/20

Inesgotável

Você veio rápido
E foi indo embora aos poucos, devagar
Almas irmãs
Almas irmãs gêmeas
Núcleo fundido de alta densidade

O mistério do instante
A força monolítica
Iluminada pelo sentir

O caminhar sereno
Os olhos de fome
O olhar de desejo e de angústia

Há tanto amor no meu coração
O que é a felicidade?
É apenas uma palavra
O que é a eternidade?
É um momento
Breve riqueza da história
De emanar amor
É ruptura
Cura

10/06/20

Tela inversa

Hoje parei para ver a vista
A tela é mirante original
Resultado de pulsões pungentes
De viagens no tempo
De mudanças (in)esperadas

Horizontes sucessivos
Camadas flexíveis
De atravessar mares e sonhos

Ela se revela genuína
Mas o que pode ser tão autêntico neste mundo de milênio
De histórias
Inúmeras criações?

O que ela quer me dizer?
Você precisa de silêncio
Você ganha quando renuncia
Todo o universo cabe na palma da sua mão
Experimente

30/04/20