Corpo e mente na saúde

Em artigo do escritor e neurocientista Eduardo Aquino, publicado no dia 24/01/10, com o título “Sindrome do Pensamento Disparado”, é abordada a questão das relações interdependentes entre corpo, mente e cérebro. O que chamou minha atenção foram os dados sobre a situação da saúde que ele apresenta (83% dos exames realizados são considerados normais e 65% das cirurgias realizadas são desnecessárias) e as críticas que faz sobre a forma como praticamos “saúde” atualmente.
Segundo o autor, a falência da medicina começou com a separação do estudo entre corpo e cérebro e persiste até hoje quando os médicos se dedicam a investigar os sintomas e não a pessoa que é portadora deles. Nesse sentido, como o cérebro influencia o corpo, hoje podemos falar que essa influência é altamente excitatória e até prejudicial para o corpo, na medida em que nosso cérebro tem que lidar diariamente com excesso de estímulos de diversas ordens, estresses, pressões, internet, TV, celular…
Finaliza, convocando os profissionais da saúde a se responsabilizarem pelo seu fazer: “Peço (…) a todos que sonham um ser humano saudável, sereno, em paz de espírito (…) que pesquisem, entendam e vejam o paciente que nos procura como um ser humano universal. Acolhê-los, escutá-los, compreendê-los (…) e fazer tratamentos que dêem resultado! É o mínimo que nos cabe fazer, é direito dos pacientes e dever de quem escolheu a saúde como área de exercício de seus dons e talentos.”

Por Daniela Piroli Cabral em 07/02/10

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *